domingo, 19 de agosto de 2018

O Chá de Bebé

Esta semana fizemos uma festa cá em casa. Na verdade foi um 2 em 1: comemorámos o aniversário do Mr. Right e fizemos o Chá de Bebé. Foi um dia super bem passado junto dos que mais gostamos, a família e os amigos. 
Decidi que iria eu organizar as coisas e não contratámos nenhuma empresa organizadora de eventos (tal como no Chá de Bebé da Mel, que podem ver aqui). Tinha tempo, tinha ideias e pus mãos à obra. Também decidi logo que não queria nada muito rebuscado mas sim algo simples e mimoso. As fotos foram tiradas logo no início, quando os primeiros convidados estavam a chegar. Depois não peguei mais na máquina ou no telemóvel - simplesmente curtimos a festa!


Montámos na sala uma mesa decorada para o Chá de Bebé. Comprei uma grinalda numa destas lojas de decoração de festas e usei as rodelas de troncos de árvores da À Manápula (uso-as muito nas festinhas, acho que são super versáteis!). Comprei umas flores, tratei das lembranças e fiz um bolo de fraldas (vou colocar no stories do Instagram o passo a passo do bolo de fraldas, é muito fácil de se fazer!). 




Como a festa não era somente destinada ao Chá de Bebé e era também o aniversário do Mr. Right, quis um bolo que fosse bonito e que desse para as duas celebrações. Mais uma vez mandei fazer na Doce Maria e ficou maravilhoso - por dentro e por fora! 


As lembranças... confesso que foi das coisas que mais gozo me deu preparar e toda a gente adorou! Comprei mini garrafas de espumante, retirei-lhes os rótulos originais e criei uns novos. Depois foi só imprimir em papel autocolante e voilá! Nas garrafas pode ler-se "Quando eu nascer, abre a garrafa e brinda!". A ideia é os convidados colocarem o espumante no frigorífico e, quando souberem da boa nova, brindarem nas suas casas o nascimento do/a bebé. 



Desta vez como juntámos as duas festas e éramos muitos (no Chá de Bebé da Mel só foi mulherio), decidi não fazer jogos e brincadeiras. Estivemos mais no convívio uns com os outros, dentro e fora de casa. No entanto, não deixei de ter algo em jeito de brincadeira e, na mesa, os convidados podiam personalizar as futuras fraldas do bebé e ainda votar no sexo da criança (Menino foi quem teve mais votos). 


Quanto aos comes e bebes, também conversei logo com o Mr. Right e disse-lhe que não estava com disposição para comprar e preparar docinhos, salgadinhos, folhadinhos e mais inhos. Queria mesmo algo prático e por isso decidimos montar uma mesa de cachorros quentes. Afinal de contas é algo que toda a gente gosta e podiam fazer ao gosto de cada um: tinhamos pão, salsichas (incluindo de tofu), batata palha, alface, cebola crocante, fiambre e queijo. E molhos com fartura. Foi uma escolha prática e bem sucedida. 


Para beber fizemos jarros de limonada (alguns decidiram dar-lhe um toque de rum), cidras e água. 




Agora que o Chá de Bebé passou, é hora de preparar a festinha dos dois anos da Mel. Nunca se sabe se estarei no hospital aquando do aniversário dela e não quero que o homem pire de vez. 

Rita


Outras coisas que podem querer ler:
...
Continua a acompanhar o blog no Facebook aqui e no Instagram aqui 💛 


Entretanto, sê feliz como eu, entre fraldas e mojitos!

quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Quem é que ainda não experimentou?!

Estes últimos dias têm sido tão preenchidos, com a Mel de férias e os preparativos para o nascimento do/a bebé, que me esqueci de vos mostrar um dos momentos altos do mês!


A nossa Mimobox de Julho chegou e a Mel, como sempre, delirou! Basta mostrar-lhe a caixa que abre um sorriso de orelha a orelha e só descansa quando a tem nas mãos. A cada mês que passa mais contente fico por ter este mimo para ela (e para mim eheh).



Tanto eu como ela recebemos coisas das quais gostamos e outras tantas para experimentarmos! Para a Mel a Mimobox trazia uma bola, um pacotinho de fruta, um peluche dou-dou, uma pasta de dentes e um arnidol para picadas de insectos. É claro que ela delirou com a bola, quis devorar o snack em três tempos e identificou logo para o que era a pasta de dentes (é o momento preferido dela no banho). Nunca tinha comprado o arnidol para picadas, somente a versão roxa para pisaduras, e quero muito experimentar - sem dúvida que será bastante útil no decorrer do verão! 




Já eu recebi uma máscara facial, uma embalagem de cereais fitness, umas bolachas, um creme reparador, umas toalhitas, um shampoo seco e produtos para pastelaria! Nunca experimentei ou provei nenhum deles por isso estou bastante curiosa!




Quem aí em casa nunca experimentou a Mimobox?! Basicamente é uma caixa de mimos surpresa - nunca sabemos o que lá vem! - para mães e filhos. É possível encomendar uma Mimobox de grávida, com artigos para a futura mamã e bebé, ou uma Mimobox para mãe e filho (como a nossa). Podemos personalizar consoante o sexo, idade e possíveis alergias dos miúdos. Nós estamos fãs! 

Rita 

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

"Que sorte a tua filha comer bem!"

Já ouvi e li esta frase tantas, tantas vezes. Sinceramente, não acho que tenha assim tanta "sorte". Sorte é ter um bebé que durma bem à noite (e sim, aí temos mesmo sorte com a nossa filha!). Já esta "sorte" referente à alimentação, na minha opinião, resulta em grande parte da atitude dos pais e dos hábitos que são incutidos desde cedo. 


Claro que pode haver um ou outro caso diferente e talvez seja mesmo preciso procurarem ajuda profissional, mas acredito que na maioria dos casos o mais importante para que um miúdo coma bem é incutir-lhe bons hábitos. Desde sempre. Há muitos (mesmo muitos!) miúdos que são o terror à mesa, não comem nem por nada, mas se lhes oferecermos um doce, um gelado ou uma fatia de pizza, aí já comem. A Mel come mesmo muito bem mas acho que em grande parte se deve ao meu (nosso) esforço e empenho desde o momento em que introduziu a alimentação complementar. Desde que começou a comer sólidos, aos seis meses, 70% do que lhe dava era fruta e legumes. Ao longo destes quase dois anos de vida, já provou praticamente todas as frutas e legumes e come de tudo (tem, claro, os seus preferidos). Só come iogurtes naturais e snacks e papas sem açúcar. Não bebe sumos (excepto sumo de laranja natural uma vez ou outra) e tanto come um bife do tamanho dos nossos como uma dourada grelhada inteira (sim, às vezes come mais do que eu!). Adora massa mas nunca diz que não a uma batata cozida ou a um arroz com feijão. 

Nestes dois anos não lhe demos doces nem fritos e é uma decisão da qual não nos arrependemos. É da maneira que valoriza todos os alimentos - saudáveis - e não troca um bom prato de comida por uma guloseima. Se lhe dou gelado, ela dá duas ou três lambidelas e diz que não quer mais; já lhe oferecemos uma fatia de bolo e depois da primeira trinca virou costas. Uma vez, apanhou-nos distraídos e comeu um bocado de bolo de chocolate - daqueles húmidos e super calóricos - e cuspiu tudo no instante a seguir.  É claro que não acreditamos que vá ser sempre assim. É normal os miúdos - e os adultos! - gostarem de doces. No entanto, se pudermos adiar esta "descoberta" por mais algum tempo, vamos fazer por isso. É algo que não lhe faz falta nenhuma e acreditem que ela é muito feliz na mesma. E não, se ela comesse uma bolacha maria ou umas batatas fritas não vinha nenhum mal ao mundo, mas preferimos para já não lhe dar esse tipo de coisas quando há opções mais saudáveis e das quais ela gosta. 

Se não faz birras à mesa?! Faz, pois! Nos últimos meses tem feito birras daquelas em que diz que já não quer mais, empurra o prato, cospe a comida fora. São fases e temos que aprender a lidar com elas. Ainda hoje ao almoço, ao fim da terceira colher - estávamos a comer frango estufado com massa, cenoura e ervilhas - disse que não queria mais. Já percebemos que gritar com ela não ajuda em nada porque é bastante teimosa e só quer levar a dela avante. O truque é dar-lhe a volta, distraí-la. Hoje foi com os ímans do frigorífico. Pôs-se a brincar com eles e, colher atrás de colher, comeu o almoço. Também já fez birras em que só conseguimos que comesse sossegada ao mostrar-lhe videos no youtube (sim, somos desses pais péssimos que convencem os miúdos a comer ao espetar-lhe um ecrã à frente). Outras vezes vai lá com uma ligeira chantagem do tipo "Queres ir brincar com o Artur (nosso cão)? Então come!". Ela vai comendo e muitas vezes quando termina ainda pede para repetir. Na verdade, não é que ela não goste da comida que tem no prato, simplesmente faz birras e quer chamar à atenção (como criança que é). Conto com os dedos da minha mão esquerda as vezes que ela se recusou a comer o que quer que fosse. E nessas alturas também não complicamos. Não quer mesmo comer? Não come. Come a fruta e não ficamos a matutar no assunto. Ela é super saudável, alimenta-se bem e não são estes episódios pontuais que vão fazer a diferença. 

"Quando é que lhe vais começar a dar doces?" já me perguntaram também. Não sei, não é que tenhamos definido um super plano saudável até aos cinco anos de idade. Simplesmente não faz parte das nossas escolhas neste momento porque acreditamos piamente que é nos primeiros anos de vida que se constroem bons hábitos alimentares. É de pequenino que se torce o pepino mas também é de pequenino que se aprende a gostar de pepino (a minha mãe vai gostar desta!). 

Rita

Outras coisas que podem querer ler:
...
Continua a acompanhar o blog no Facebook aqui e no Instagram aqui 💛 
Entretanto, sê feliz como eu, entre fraldas e mojitos!


domingo, 29 de julho de 2018

50 atividades para fazer com os miúdos nas férias

Esta próxima semana começam as férias da creche da Mel e eu só tenho duas palavras: ME-DO. Já estou na reta final da gravidez e pressinto que estes quinze dias vão ser um pouco caóticos, sobretudo porque é a altura de maior trabalho do Mr. Right. Vá, não acredito num cenário de completo terror mas a verdade é que tenciono mantê-la ocupada (e a mim também) durante estes dias ou ainda damos em malucas uma com a outra - muito respeito por quem passa esta fase com dois e três filhos (um dia ainda me vai tocar a mim). 

Assim sendo, estive a pensar em várias atividades para fazer com a Mel durante estes dias e decidi partilhá-las convosco, caso estejam, como eu, a panicar um bocadinho com as férias dos miúdos. Algumas atividades serão apropriadas para miúdos mais crescidos, outras nem tanto. Aqui vai: 


1- cozinhar bolachinhas
2- escrever e ilustrar uma história
3- fazer uma caça ao tesouro
4- ir à praia
5- fazer um piquenique
6- fazer carimbos com batatas
7- fazer uma luta de almofadas
8- viajar de comboio até uma cidade próxima
9- organizar sessão de cinema em casa com pipocas
10- jogar um jogo de tabuleiro
11- visitar um museu
12- ir ao cinema
13- aprender truques de magia
14- ir ao parque da cidade
15- fazer uma aula de ginástica em família
16- ir às compras
17- fazer uma pequena horta (no quintal ou em vasos)
18- organizar um desfile de moda
19- ir a um parque aquático
20- fazer um concurso de dança
21- plantar uma árvore
22- fazer uma festa do pijama
23- fazer uma sessão de karaoke
24- lutar com balões/pistolas de água
25- andar de barco
26- fazer um espanta-espíritos
27- fazer uma experiência científica
28- pintar sem pincéis
29- acampar em casa
30- cozinhar um bolo
31- ver o pôr do sol na praia
32- separar roupa e brinquedos para doar
33- fazer uma sessão de spa em casa
34- fazer colagens com materiais que tenham em casa
35- criar um instrumento musical
36- escrever cartas aos avós (e enviar pelo correio)
37- fazer fantoches e contar uma história
38- brincar às escondidas
39- fazer um puzzle
40- criar um fato de super herói com o que tiverem em casa
41- fazer um colar com massinhas
42- aprender a coser (ex. ponto cruz)
43- ir ao jardim zoológico/oceanário
44- ir à biblioteca municipal e trazer um livro para ler em casa
45- fazer uma pizza caseira
46- ver uma peça de teatro
47- observar as estrelas
48- ir a um novo parque infantil 
49- redecorar o quarto dos miúdos com a ajuda deles
50- fazer um desenho/escrever um texto sobre as férias

Espero que gostem das dicas e, se também tiverem sugestões sintam-se à vontade para partilhar! Todas as ideias são bem-vindas :) 

Rita

(foto retirada do Google)


terça-feira, 24 de julho de 2018

Apanhámos o maior dos sustos com a Mel

Ontem apanhámos o maior dos sustos com a Mel. Ficamos sempre a sentir-nos mal, impotentes e de coração apertado quando algo acontece com os nossos filhos e desta vez senti tudo isso na pele... a triplicar. 

A Mel nunca foi uma bebé de porcelana, longe disso. Entre “aventuras” em nossa casa e na de familiares já caiu do berço e da cama, já deu cabeçadas nas mesas e esmurrou os joelhos. Esta é a parte em que pensam que somos uns pais negligentes mas “quem nunca errou que atire a primeira pedra” e a verdade é que acidentes acontecem, em qualquer sitio e a qualquer hora, com miúdos pequenos. Não são episódios destes que nos fazem maus pais, apesar de na hora H nos passar isso pela cabeça e pelo coração.

Viemos passar uns dias ao Gerês com a minha família, como já é hábito há muitos anos. Adoramos esta paz e beleza natural e é uma escapadinha a que nos permitimos sempre. Ontem vínhamos a descer do nosso quarto para ir passar a tarde na piscina e chamámos o elevador. Andamos sempre de mãos dadas com a Mel, perto de elevadores e escadas, não vá o pior acontecer. E ontem aconteceu. Eu e o Mr. Right estávamos no elevador de mãos dadas com ela e, quando este parou na recepção e a porta abriu, preparámo-nos para sair. Foi nesse momento que ouvimos os gritos dela. Numa primeira fracção de segundos não percebemos o que se passava. Eu continuava a dar-lhe a mão mas ela não parecia querer sair do sitio. Foi quando vi - e o meu coração gelou - que tinha ficado com a outra mão presa na porta do elevador (é daquelas portas de metal que recolhem para o lado). Todos os dedinhos dela estavam lá trilhados. Eu entrei em pânico e só tentava puxar/abrir a porta, sem qualquer sucesso. Ela sempre a gritar, aflita. O Mr. Right começou então a puxar a mãozinha dela e ao fim de algumas tentativas lá conseguimos liberta-la. Só ouvi os dedinhos dela a estalar e pensei o pior. Ela chorava no colo dele e eu fui buscar gelo. Quando voltei, a minha mãe e a minha irmã estavam com eles e tentavam acalmá-la. Pedimos para ela abrir e fechar a mão, nos dar Hi5, qualquer coisa... para perceber como estava. Felizmente não tinha nada partido, foi só o susto. Tentámos aplicar-lhe gelo (é sempre o maior dos dramas com a Mel) e a verdade é que agora está como nova. Nem sequer ficou com a mão pisada e no final não passou disso mesmo, de um grande susto. 

Conto-vos isto porque nos serviu de lição - mais uma - e porque este é um dos objectivos do blog: partilhar; experienciar; aprender. Na minha opinião é também muito disto que nós, mães (e pais), vivemos ao longo da maternidade. São estes apertos no coração, estes medos e estes receios que passam a viver connosco a partir do momento em que damos à luz. Temos que estar sempre alerta, com mil olhos em cima deles, mesmo quando achamos que temos a situação controlada.

Rita 


domingo, 15 de julho de 2018

Papa Livros #1

Esta é uma ideia que já queria há muito incorporar no blog: um cantinho com sugestões de leitura. Uma rubrica onde vou sugerir livros para bebés, crianças e (porque não?) para os pais. Cá em casa tanto eu como o Mr. Right adoramos ler (apesar de atualmente não o fazermos tanto como gostaríamos) e a Mel - apesar de ainda não saber ler - adora folhear os livros, apontar para as gravuras e ouvir-nos contar as suas histórias. Espero que gostem da ideia - e dos livros - e sintam-se à vontade para partilharem as vossas sugestões literárias! 

Para iniciar esta rubrica escolhi um livro muito especial. Na verdade, não é apenas um livro. É também um palco de teatro onde podemos dar asas à imaginação e brincar com os miúdos. A história? O Capuchinho Vermelho! 




A caixa contém um livro com a história do Capuchinho Vermelho (com ilustrações mesmo giras). 


Para além do livro vêm também figuras descartáveis das personagens e o cenário da floresta e da casa da avózinha. 



Podemos ir lendo o livro e ir recriando toda a história com os miúdos! Não é uma ideia super gira? Um livro interactivo com uma das mais clássicas histórias infantis de todos os tempos. 



O livro chama-se "O Capuchinho Vermelho", é da editora Edicare e podem encontrá-lo à venda na loja Tatauuga - que, diga-se, tem imensos livros giros para os miúdos! 

Rita

quarta-feira, 27 de junho de 2018

A ecografia do bebé num bordado

Uma das mais bonitas recordações que vou guardar da gravidez: a ecografia do meu bebé num bordado. Quando descobri isto fiquei logo apaixonada pela ideia e ansiosa por ter uma só para mim! Os pormenores são incríveis e a Elsa da Miss Needle é super talentosa. 


Só precisei de enviar uma fotografia - com boa qualidade - de uma ecografia. Escolhi esta em que o bebé está com o bracinho levantado (já anda a trabalhar os bíceps!) porque achei fora do vulgar e querida. Passado uns dias recebi esta pequena maravilha no correio. 



Acaba por ser não só uma bonita recordação desta fase da minha (nossa) vida como também uma peça de decoração original para o quarto do bebé. 


Não resisti e pedi para à Miss Needle para me fazer também um bordado de uma ecografia da Mel. Tinha guardadas as ecografias e foi só escolher uma para lhe enviar. É possível personalizar na parte de trás o nome do bebé e até mesmo a data de nascimento completa. Como queria que os dois bordados ficassem iguais, a combinar (e ainda não sabemos o nome da criança que aí vem) preferi colocar apenas o ano de nascimento de cada um/a: 2016 e 2018. 



O que acham desta ideia? Não é maravilhosa? Estou a preparar uma surpresa para vocês por isso fiquem atentas à página de facebook nos próximos dias! 

Rita